A maternidade e a cobrança social



Vivemos constantemente as voltas com as cobranças infundadas da nossa sociedade, não é mesmo?! Resumidadmente, a sociedade cobra namoro, casamento, primeiro filho, segundo filho e por ai vai. Se as escolhas ou circunstâncias são diferentes das escolhas e circunstâncias das pessoas que estão te cobrando, você é considerado como um ser estranho.

Quando casamos a sociedade toda começa a cobrar pelos filhos, peraí esta é uma decisão pessoal do casal, não diz a respeito a mais ninguém, o casal pode escolher ter filhos mais tarde ou não tê-los, mas não, sempre tem alguém para perguntar pelos filhos. Às vezes me questiono se isto é falta de assunto ou se é para encher a paciência mesmo.

A pergunta insistente não leva em conta as circunstâncias. Quem sabe o casal ainda não acha que seja o momento certo?! Quem sabe querem muito ter filhos mas não podem?! Quem sabe a vida é tão corrida com tantas outras prioridades que ter filho não é uma opção?! E por que isto incomoda tanto as pessoas?

Quando você está grávida surge tantas outras cobranças. O que você come ou deixa de comer; A barriga esta grande demais, pequena demais, baixa demais; Você engordou muito, engordou pouco; Você passa mal o tempo todo, como pode não sentir nada; Parto normal, parto cesárea e por ai vai... Mais uma vez a sociedade não está nem ai para gente, o importante é cobrar.

O bebê nasce, as cobranças se multiplicam de uma forma absurda. Amamenta ou dá fórmula?! Há olhares reprovadores se você amamenta em público, outros tantos olhares se você dá mamadeira em público. Dorme direto só porque toma fórmula. Acorda o tempo todo porque mama. Dorme em cama compartilhada ou berço?! Dorme a noite toda ou acorda muito. A mãe trabalha fora ou está em casa cuidando da casa e do filho?! Se trabalha fora não tem tempo para o filho, se não trabalha está com vida boa. Há reprovação se você coloca o filho cedo na escola, você está terceirizando os cuidados dele, se você não coloca o filho cedo na escola está atrasando seu desenvolvimento e socialização. Quanta bobagem, a sociedade não sabe nada da vida familiar para ficar criticando, reprovando e cobrando. Pior que muita destas cobranças parte de pessoas próximas e também de outras mães.

E as expectativas com a criança. Mal nasce e já tem um time. Já fica de bruço? Já engatinha? Já anda? Já fala? Já faz isto ou aquilo? Já nasceu dentes. Mas fulano começou a andar com tantos meses. Quanta cobrança com um ser que está em pleno desenvolvimento. Se os pais pirarem com estas cobranças e se esquecerem que cada criança é uma criança, vão perder a magia do desenvolvimento infantil. Seu bebê pode ainda não andar, mas está desenvolvendo tantas outras habilidades. Apenas observe e curta...

Meu filho hoje está com 1 ano e 2 meses. Aqui nós estamos na fase do: - Ele ainda mama?! Sim, mama. - Ele já esta andando?! - Já esta quase andando. Com o tempo a gente aprende a ignorar e a relevar tanta cobrança, se isto não acontece os pais enlouquecem, porque não dá para agradar todo mundo e sempre vai ter alguém torcendo o nariz.

Em alguns momentos, tais cobranças chegam a ser cruéis. Já não bastassem nossas próprias cobranças enquanto mães, ainda vem a sociedade querendo ditar regras e dizer o que é certo ou não. Seja qual for o tipo de parto, a forma de alimentar, como dorme, o andamento do desenvolvimento, que seja o que for confortável para a mãe e o bebê. No momento da gestação e dos primeiros meses após o nascimento do bebê, a mãe precisa de apoio e não de cobranças, a mãe precisa se sentir segura e não o contrário. Se tem sempre alguém criticando e querendo que seja feito diferente, de duas uma, ou a mãe se empodera e assume os riscos da SUA maternidade, ou cede aos desejos dos outros, se enche de culpa e acredita não ser uma boa mãe.

Mais uma vez, fica a dica de seguir seu coração e o que é adequado para sua família. Acredite, você sabe o que é melhor para o seu filho!

#Amamentação #Cobranças #Maternidade #Desenvolvimentoinfantil #EmpoderamentoMaterno #Expectativa #Filhos #SerMãe #Mãedeprimeiraviagem