Amamentar é fundamental, mas não define uma mãe!



Ser mãe vai muito além de amamentar ou não!

Na Semana da Amamentação presenciamos na mídia e redes sociais uma avalanche de artigos e fotos exaltando a amamentação. A importância do Aleitamento Materno é indiscutível, mas esta exaltação chega a ser cruel com as mães que não conseguiram ou não puderam amamentar.

Em conversa com várias mães, nunca escutei, embora saiba que exista, uma mãe dizendo que não amamentou porque não quis. O que sempre escutei foram lamentos e pesares pelo desmame precoce. Vale lembrar que o amor transcende esta questão, não é a amamentação que define uma mãe ou seu amor.

Desde a gestação, procurei me informar a cerca da amamentação. A primeira consulta com o pediatra, antes do parto, seria o suficiente para o fracasso da mesma, pois ele já prescreveu uma fórmula para caso eu não conseguisse amamentar. Claro que mudei de pediatra, mas se tivesse seguido seus conselhos, por despreparo, teria dado a fórmula nos primeiros dias, quando o bebê chorava muito, não sabíamos o que era e ficávamos com medo de ser fome.

Na Maternidade não tive nenhum incentivo e nenhuma informação sobre a amamentação, o que poderia ter facilitado muito os primeiros dias com o bebê. A única orientação era da minha médica obstetra para amamentar de 03 em 03 horas.

A primeira semana foi um caos, como normalmente é para todas as mães. É a semana em que confrontamos arduamente a teoria com a prática. Um caos necessário para o conhecimento mãe-bebê e adaptação da nova rotina, o que poderia ser mais tranquilo se eu já estivesse internalizado a importância do colo e da livre demanda. Em consulta com a médica obstetra ela insistia na amamentação de 03 em 03 horas.

Para minha felicidade tive indicação de uma excelente pediatra, totalmente a favor da amamentação. Na primeira consulta me tranquilizei sobre o leite não ser fraco, uma vez que meu bebê queria mamar de hora em hora. Embora eu já tivesse lido vários textos sobre “não existe leite fraco”, só me convenci com o apoio da pediatra.

O Grupo do Facebook Aleitamento Materno Solidário também foi primordial para o sucesso da amamentação e para meu empoderamento materno. Este Grupo é fantástico! Cheguei até ele através de uma amiga. Os relatos, as dúvidas e informações nos mostram que não estamos sozinhas.

Amamentar não é tão fácil como pensamos, os primeiros dias são dolorosos, são difíceis, são cansativos, chegam a ser frustrantes, mas com o tempo e apoio nos adaptamos. O emocional contribui muito para a continuidade da amamentação, tanto quanto a hidratação.

Informações corretas, desejo de amamentar, tranquilidade emocional, apoio, descanso e muita água é tudo o que precisamos logo após o parto para o sucesso da amamentação. Não é fácil, mas não é impossível!

#Amamentação #Aleitamentomaterno #EmpoderamentoMaterno #Leitefraco #Pósparto #Apoio